Primeiro dia


Advertisement
Argentina's flag
South America » Argentina » Mendoza » Mendoza
February 15th 2008
Published: February 24th 2008
Edit Blog Post

ComidaComidaComida

Como é bom comer.

Primeiro dia, quinze de fevereiro de 2008



Acampamento Las Veguitas, ou Veguita. Há muitas maneiras de comecar um texto. Certamente, esta pré-anunciacao nao é a melhor. Estamos em Veguita, a 3.100 metros, nossa maior altitude alcancada até hoje. Amanha vamos subir o San Bernardo, uma montanha vizinha com 4.000 e poucos metros. Comecamos um processo de aclimatacao para o El Plata, pico de 6.100 m. que devemos alcancar dentro de alguns dias. Esta é uma boa maneira de comecar, tanto um texto como uma experiencia de alta montanha.

Outro comeco. Idéias difusas. Sentado em meu isolante, dentro da minha barraca, comeco a pensar em tudo que fizemos nestes últimos (poucos) quatro anos. Muitas viagens. Muitas novas experiencias, novos sonhos. Patagonia era um sonho bem grande que já se realizou. Uma experiencia em alta montanha é outro grande sonho. É incrível esta oportunidade: confortável em minha barraca penso em toda altitude, gelo e frio que enfrentaremos.

Sao 17:00. Faz cerca de 15 graus Celsius. Nao há sol, temos uma neblina imensa e nao há visao para mais de 15, talvez 20 metros. Saímos de Mendoza às 9:30 da manha, com duas horas de viagem chegamos a Vallecitos, onde há
San BernardoSan BernardoSan Bernardo

No cume do San Bernardo.
um centro de ski e de onde comeca a trilha. Pretendíamos subir até o acampamento Piedra Grande, a 3.400m. Mas ao saber que lá nao havia água decidimos ficar aqui, ao lado de um rio de degelo, em um local chamado Veguita.

As estimativas das pessoas diziam que chegaríamos aqui com 1 hora e meia de caminhada: chegamos com irrisórios 48 minutos, e andamos devagar, também nao é pra menos, a mochila tem algo em torno de 32 kg.

Um pouco de loucura, subimos em duas pessoas com duas barracas, uma para cada (nao, elas nao sao individuais, nao sao tao grandes, é verdade, mas é sustentável ficar em dois e mais bagagens, em ambas), dois fogareiros e muita, muita comida. Queremos conforto, esta é a resposta.

Por fim, para ficar um texto compreensível para todos (se é que os amigos ou alguém mais que nossas maes estao acompanhando este blog) vou falar um pouco acerca de nossos planos e sobre o processo de aclimatacao. Um parênteses aos desavisados, nao estranhem o estranho português com possíveis expressoes ou modos tomados emprestados do espanhol, estamos viajando há 50 dias pela Argentina e Chile, ¿compreendes?

Quando se sobe
VistaVistaVista

Vista de dentro da barraca do Xuxa, Veguitas.
muito alto, em especial acima de 3.500 metros, o corpo precisa se acostumar com a nova pressao, com a nova temperatura, com a falta de oxigênio no ar. Cada organismo reage de uma maneira a altitude, mas é comum que muitos sintam o mal da montanha: sintomas como dor de cabeca, falta de apetite, nauseas, vômitos. Em geral nao dura mais que dois dias, mas caso o quadro persista o melhor a fazer é baixar, diminuir a altitude. Para evitar estes sintomas e coisas piores (como edema cerebral e edema pulmonar, mais frequentes em altitudes maiores) a recomendacao é subir aos poucos, guardar dias de descanso, nunca dormir muito alto (sempre atingir um cume alto e voltar para dormir mais baixo).

Bom, nossa aclimatacao comecará amanha, atacaremos o cume do San Bernardo, de 4.450m (acabei de descobrir) e voltamos para dormir onde estamos, a 3.100 m. No dia seguinte vamos até Salto, nosso acampamento base (de onde faremos o ataque ao cume), e lá dormiremos. No próximo dia somente descansamos. Depois precisamos decidir se atacamos outros cumes antes ou o El Plata.

por Xuxa


Additional photos below
Photos: 5, Displayed: 5


Advertisement

No caminhoNo caminho
No caminho

Caminho para o cume do San Bernardo.
Na voltaNa volta
Na volta

Nuvens na volta do ataque ao San Bernardo.


24th February 2008

patragonia, um lugar mítico
uma amiga me pediu para descrever a patagônia e eu lhe escrevi isto: meu, a patagônia é praticamente um mito materializado...um lugar surreal onde o vento alcança 150 km/h, os besouros são peludos e grandes (e fazem um barulho tão grave que vc chega a confundir com o mugido de uma vaca), os lagos que vc avista no horizonte, mesmo que estejam um do lado do outro, têm cores completamente diferentes entre si: um é azul anil o outro é verde-claro acinzetado; as árvores são peladas: há dezenas de troncos grossos sem copa em áreas completamente preservadas da devastação humana...é mágico... ;-)

Tot: 0.048s; Tpl: 0.016s; cc: 5; qc: 45; dbt: 0.0104s; 1; m:saturn w:www (104.131.125.221); sld: 1; ; mem: 1.3mb